Latest Posts

Os Beijos Do Sol - Canto IV


Monifa Jansen


O Sol Da Quarta Hora Dá Ao Deus De Cada 
Coração A Prece Inextinguível Que Ecoa No Silêncio Maior Onde Tudo É Eterno Calor


O Sol não abandona
Aqueles que Beija,
É Pai que se situa
Como acolhedor
De todas as criaturas,
É Mãe que embala
Em Seus Raios
A todos por Ele banhados,
É a Mão que move
A mão deste
Inominável Poeta,
São os Pés que
Me guiam incólumes
À Musa Solar
Nestes versos beijada!

Sintamos juntos
O Sol Como Pai,
Musa Solar,
De mãos dadas
Diante do alvorecer
Mais iluminante!

Sintamos juntos
O Sol Como Mãe,
Musa Solar,
De mãos dadas
Ao meio-dia
Acima dos rochedos
Da Grande Praia!

Sintamos juntos
O Sol Como Mãos,
Musa Solar,
De mãos dadas
Em tarde festejada
Em um jardim
De Flores Eternas!

Sintamos juntos
O Sol Como Pés,
Musa Solar,
De mãos dadas
No crepúsculo
Caminhando entre
A relva
Do Grande Campo!

Me faças um pai,
Musa Solar,
Geremos um filho
Nestes versos
Aqui penetrantes!

Torna-te uma mãe,
Musa Solar,
Embales meus versos
Como o filho querido
Que moldamos sorrindo!

Me deixe beijar
Ao Sol
Tuas mãos,
Musa Solar,
Mãos a incendiarem
Meu Ser!

Me deixe beijar
Ao Sol
Teus pés,
Musa Solar,
Pés a caminharem
Em minha alma!

Peguemos ao Sol
Nossos versos
E juremos ao
Horizonte Eterno
Que jamais estaremos
Distantes do Nascer
Dele em nós!

Juremos,
Musa
Solar!

Juremos
Agora,
Musa
Solar!

Juremos
Amanhã,
Musa
Solar!

Juremos
Sempre
Musa
Solar!

Ó,
Grande Sol,
Tragas Aquela
Que para mim é
A Verdadeira Companheira,
A Única Companheira,
A Única Filha Vossa,
Para que se torne
A Eterna Esposa
Do Eterno Sol
Que ilumina
Todo o meu
Inominável poético
Coração!

Inominável Ser
VENERANDO
A COMPANHIA
DA MUSA BEIJADA
PELO SOL




Os Beijos Do Sol - Canto III


Monifa Jansen


O Sol Da Terceira Hora Traduz A Linguagem Do Verbo Criador Do Poder A Mover Todo Elemento Da Vida Eterna

O Sol oferece
Sua gratidão
Por ser amado
A cada Verão,
Concedendo a cada um
Seus Maiores Beijos
E dentro do
Verão Eterno
Beijando Aquela Musa
À qual agradeço
Por me permitir
Aqui poetizá-la!

Gratidão
Pelos teus olhos,
Musa Solar,
Voltados para o meu
Poetizar!

Gratidão
Pelos teus lábios,
Musa Solar,
Beijando o meu
Poetizar!

Gratidão
Pelas tuas mãos,
Musa Solar,
Tocando o meu
Poetizar!

Gratidão
Pela tua pele,
Musa Solar,
Onde eternizo o meu
Poetizar!

Gratidão
Nesta hora
Dentro
Da Solar Cósmica
Hora!

Gratidão
Neste momento
Dentro
Do Solar Cósmico
Momento!

Gratidão
Neste dia
Dentro
Do Solar Cósmico
Dia!

Gratidão,
Eterna Gratidão,
Musa Solar
Navegante do meu
Poético solar
Coração!

Navegues mais em mim!

Navegues mais por mim!

Navegues mais aqui!

Navegues,
Musa Solar,
Neste poeta
E nesta poesia
Nascendo do
Útero Solar!

Eu navego em Ti!

Eu navego por Ti!

Eu navego aqui!

Aqui,
Onde eterno
Serei grato
Pelos Teus Raios
A me inspirarem
Como O Grande Sol!

Ó,
Grande Sol,
Tragas Aquela
Que para mim é
O Horizonte Eterno
Onde caminho
Tendo flechas sendo
Sempre lançadas
Ao Alto Coração
Solar
Dela
Com a minha
Pontaria
Em versos!

Inominável Ser
VENERANDO
O HORIZONTE
DA MUSA BEIJADA
PELO SOL




Os Beijos Do Sol - Canto II


Monifa Jansen


O Sol Da Segunda Hora Transborda As Infindas Maravilhas Ocultadas Atrás Dos Véus Que Sabiamente Moldam Os Textos Das Mais Inomináveis Verdades

O Sol expande
Sua generosidade
Que supera até mesmo
O Infinito,
Gerando as Correntes
Que libertam
Os mais solares
Esplendorosos sorrisos
Da Musa Solar
Que desce sobre mim
Nesta poesia
Amante do Verão!

O Verão
Que é a
Musa Solar,
Verão da Titanide
Que conquista
Os Oimpos
De todos os poéticos
Corações!

O Verão
Na pele da
Musa Solar,
Verão da Guerreira
Que trava batalhas
Contra trevas amargas
Que tentam nublar
A Luz Solar!

O Verão
Nos olhos da
Musa Solar,
Verão da Deusa
Adorada nos Templos
Que o Romance
Do Verão
No Alto está
Como O Todo
A Iluminar!

Verão Absoluto
Ela É!

Verão Sublime
Ela É!

Verão Perfeito
Ela É!

Quem é mais
Solar
Do que Ela?

Quem é mais
Brilhante
Do que Ela?

Quem é mais
Soberana
Do que Ela?

O Sol
Responde
Com Beijos!

O Sol
Responde
Beijando-Lhe
Na Coroa!

O Sol
Responde
Beijando
A Minha Coroa!

O Sol
Responde
Beijando
A Coroa Dela!

Ó,
Grande Sol,
Tragas Aquela
Que para mim é
A Juventude Eterna
Que toca as Terras
Onde Os Verões
Manifestam Toda
A Grande Onisciência,
Onipotência
E Onipresença
Do Verão
Da Verdadeira Vida!

Inominável Ser
VENERANDO
A JUVENTUDE
DA MUSA BEIJADA
PELO SOL




Os Beijos Do Sol - Canto I


Monifa Jansen


O Sol Da Primeira Hora É Sempre O Criador De Todas As Manhãs Automanifestadas Onde Ela Repousa A Inspirar O Eterno Parto Da Poesia Solar

O Sol desperta
Nas Manhãs do
Verão Eterno,
Seus Beijos
Mais vastos
Alcançam as terras
E os campos
E os seres
E Aquela
Para quem dedico
Estes solares
Versos!

Cada Beijo
Do Sol
É Unção
Divina!

Cada Beijo
Do Sol
É Canção
Eterna!

Cada Beijo
Do Sol
É Oração
Infinita!

Cada Beijo
Do Sol
É Poder
Doado!

Cada Beijo
Do Sol
É A Luz
Para todos
Os poetas
Que solares
Eternizam
Musas Solares!

Musas
Como Aquela
Para a qual
Dedico aqui
Tudo que solar há
Em minha alma,
Em minha mente,
Em minha carne!

Musa Solar,
Filha Diurna,
Filha Brilhante,
A Filha
Do Sol Reinante
Sobre Todas
As Criaturas!

É Verão Eterno
Quando Ela
Sorri!

É Verão Eterno
Quando Ela
Caminha!

É Verão Eterno
Quando Ela
Chega para
Arrebatar tudo
Que em mim
Grita como
Sol E Vida!

Toda Glória
Ao Sol
Que Nos Beija!

Toda Glória
Ao Sol
Que Te Beija!

Toda Glória
Ao Sol,
Musa Solar,
Que Te Beija
E Te Endeusa
Como Aquela
Que Mais Solar
A Cada Alma
Beija!

Ó,
Grande Sol,
Tragas Aquela
Que para mim é
A Nascente dos Mundos
Onde as Auroras
Do meu Existir
Possam me fazer
Verdadeiramente
Vivo E Feliz!

Inominável Ser
VENERANDO
A GLÓRIA
DA MUSA BEIJADA
PELO SOL