Alto Amor,

Trindade Da Poética Musa Desconhecida - Dualidade

01:56:00 Inominável Ser 0 Comments




Era tudo do mais

intenso infinito

azul.


O Um

Se Fez

Dois.


O Dois

Se Fez

O Um.


Um.


Dois.


Eterno Um.


Eterno Dois.


Poética Musa Desconhecida,

qual é a alegria

e qual é a sina?


Poética Musa Desconhecida,

qual é a lâmina querida

e qual é a lâmina encontrável?


Poética Musa Desconhecida,

fico aqui

ou vou mais para baixo?


Sandrinha chega aqui

ao meu lado

e eu seguro as lágrimas...


Poética Musa,

Musa Desconhecida,

Sandrinha chega...


Sandrinha chega

e junto comigo inicia

a busca por Ti...


Por Ti,

Poética Musa

Desconhecida...


Por Ti,

Poesia Musical

Desconhecida...


Por Ti,

Poetisa Musicista

Desconhecida...


Palmos de nuvens altas,

eu e Sandrinha te buscamos

unidos no Alto Amor!


No Alto

Amor,

Um!


No Alto

Amor,

Dois!


Ei,

Poética Musa Desconhecida,

Dê-nos a Dualidade

De Vosso Ser

E A Dualidade

De Vosso Querer

E A Dualidade

De Vosso Nascer!


Eu

e Sandrinha

aguardamos pelo vosso

Dual Alvorecer!


O Dois,

Poetisa,

Musa!


O Dois,

Poesia,

Musa!


O Dois,

Poética,

Musa!


Eu e Sandrinha

concebemos O Dois

Em Ti!


Tu em nós

Concebe

O Dois

Dois

Dois

Dois

Dois

Dois

Dois

Dois

Dois

Dois

D

o

i

s


Inominável Ser

COM SANDRINHA

NA DUALIDADE

DA

MUSA DESCONHECIDA






0 Românticos Aqui Se Revelaram:

WEBREVISTA PROJETO C.O.V.A.

WEBREVISTA PROJETO C.O.V.A. - 2ª EDIÇÃO

19:13:00 Inominável Ser 0 Comments






Inomináveis Saudações a todos!

Enfim, eis a segunda edição da Webrevista Projeto C.O.V.A., que, devido a alguns problemas, apenas pôde ser lançada neste mês de dezembro. Mas, como para tudo há uma específica razão desconhecida para cada um de nós, o lançamento desta edição neste mês de dezembro possui mais do que simples significados, sendo o momento correto para seu lançamento.

Esta é uma edição dedicada ao Abismo e às Suas manifestações na Arte. As contribuições dos contos de Alessandro Reiffer e José Carlos Neves tanto quanto dos desenhos deste e de Ariadne enriquecem esta edição, que, qual como a primeira, buscou a melhor maneira de disponibilizar o conteúdo com a qualidade já utilizada aqui no fórum. Estes sãos os assuntos tratados:


AS PÁGINAS DO ABISMO NA ARTE ILUSTRATIVA CONTEMPORÂNEA

CONTO 1: LICANTROPIA - JOSÉ CARLOS NEVES

TUMULAR CITAÇÃO: O CREDO NEGRO

TUMULAR RECOMENDAÇÃO DE QUADRINHOS: A CONDESSA SANGRENTA ERZSÉBET BÀTHORY

TUMULAR ESCRITURA OCULTA: O RITUAL DA SERPENTE, DA LEOA E DA LOBA

CONTO 2: E ELA FALOU SEU NOME - ALESSANDRO REIFFER


50 páginas dedicadas ao Universo Sombrio em suas abismais essências! Eis a segunda edição desta Webrevista, que aqui pode ser baixada:


MEDIAFIRE


Uma excelente leitura no fundo do Abismo a todos desejo!

Saudações Inomináveis a todos!



0 Românticos Aqui Se Revelaram:

A Musa Desconhecida,

Trindade Da Poética Musa Desconhecida - Unidade

20:32:00 Inominável Ser 0 Comments


A Força Dos Deuses

Do Alto Amor

Se Impõe

No Alto Grande Mar.


Peixe de pequeníssima

Capacidade de nadar

Eu sou

Pelas Ondas De Lá E De Cá.


A Forma Dos Deuses

Do Alto Amor

Se Transfere

Para O Meu Interno Mar.


Sou da Grécia Antiga,

Amei As Musas,

Grandes tempos,

Grandes terrenos...


A Fúria Dos Deuses

Do Alto Amor

É O Delicado Ato

De Poetizar Acima Dos Globos.


Poetizo qual grego,

Minha pena é ainda

Daquela época,

Safo me inspira!


Aos Deuses

Do Alto Amor,

Qual Povo Maior

Que O Das Musas?


Respondo ao lado dela,

Ao lado de Safo,

Observando nas praias gregas

A Nossa Musa Desconhecida!


Aos Deuses

Do Alto Amor,

Qual Lira Maior

Que O Das Musas?


Eu e Safo tocamos

Nossas liras eternas,

Nossa Musa Desconhecida

Canta E Dança!


Aos Deuses

Do Alto Amor,

Qual Mundo Maior

Que O Das Musas?


Eu e Safo criamos

Um mundo com nossa

Romântica Poesia

De Bardos Gregos Eternos!


Aos Deuses

Do Alto Amor,

Qual Ponto Acelerante D'Alma

Acima Do Ponto Das Musas?


Eu e Safo finalizamos

Pontos de passagens

D'Almas Eternas nossas

Pelos Círculos Poéticos Da Eternidade!


Aos Deuses

Do Alto Amor,

Qual Centelha Maior

Acima Do Fogo Das Musas?


Eu e Safo nos abraçamos agora,

Somos incinerados

Pelo Fogo Inspirador

Das Musas Do Alto Amor!


Deuses Do Alto Amor,

Altos Deuses Do Alto Amor,

Fátua Unidade É A Da

Musa Desconhecida Em Fogo!


Eu e Safo

Falamos

Amor.


A Musa Desconhecida

Recita Em Nós

Amor.


Eu e Safo

Sabemos do

Amor.


A Musa Desconhecida

Resplende Em Nós

Amor.


Eu e Safo

Desejamos O

Amor.


A Musa Desconhecida

Responde Em Nós

Amor

Amor

Amor

Amor

Amor

Amor

Amor

Amor

Amor

A

m

o

r


Inominável Ser

COM SAFO

NA UNIDADE

DA

MUSA DESCONHECIDA







0 Românticos Aqui Se Revelaram:

Citações,

Diversas E Infinitas Coisas Diversificadas Que Nunca São Citadas

20:45:00 Inominável Ser 0 Comments


Citações...


As citações...


Citações de algum Nietzsche?


Citações de algum Schopenhauer?


Citações de algum Kierkegaard?


Não são essas citações,

Não filosofo romantizando,

Eu romantizo a minha filosofia

De homenzinho apaixonado

Pela simetria de teu corpo

E de teu coração

Angularmente perfeitos

Em vossa

Interna Ação.

Não cito filosofias,

Minha filosofia,

Parca filosofia,

Vem a produzir e a reproduzir

A dialética inominabilista

Do Grande Verbo Amar.

Me curvo ao Verbo Amar

Arruinado pelo Tempo,

Deus Cronos me dá lições,

Meu Astral me dá lições,

As minhas estrelas me dão lições,

Dura é a minha atual lição,

Duras são todas as minhas lições,

Mas,

Tudo aquilo que não é citado

Não me fazem desistir,

Valentemente,

Do Verbo Amar!


Não citarei

Aquilo que me deixou

Tão perto dos lábios teus

Que citam todas as flores

De todos os tempos!


Não citarei

Aquilo que me arrebatou

Direto aos fios de seus cabelos

Mais ocultos que falam

Da história de todas as Fadas

Dos Mundos!


Não citarei

Aquilo que eu digo

Ser uma parte de ti

Que Vejo como

A Grande Mulher Universal,

Como

A Grande Fêmea Da Criação!


Não citarei

Aquilo que eu não disse

Em meio ao

Humano temporal!


Não citarei

Aquilo que eu lhe direi

No Grande Dia Do Amanhã

Em meio ao

Humano Douro Ano Universal

Novamente Formado!


Não citarei

Mais nada!


Não citarei

O tudo do mais

Que nos unifica!


Não citarei

O que ouço de ti

Em certas madrugadas...


Não citarei

O que ouço de ti

Em certas tardes...


Não citarei

O que ouço de ti

Em certas manhãs...


Não citarei

O que ouço de ti

Agora...


Inominável Ser

NÃO CITANDO

O QUE DELA OUVE

EM TODAS AS

NÃO-CITADAS HORAS






0 Românticos Aqui Se Revelaram:

Olhar,

Do Doce Olhar Que Me Tempera

19:28:00 Inominável Ser 0 Comments


Significo

pouco.


Significo

muito

pouco.


Significo

o

pouco.


Sinalizo

o

ponto.


Sinalizo

o

foco.


Sinalizo

o

morto.


Fracassei...


Vou chorar?


Lamentei...


Vou me matar?


Não

sou

peste

fraca.


Sou

peste

forte

que

ousa

amar.


Sou

uma

peste

romântica

que

temperada

é

pelo

vosso

olhar.


Tu

me

cozinhas.


Me

torno

café-da-manhã

através

do

vosso

olhar.


Tempere-me...


Me

torno

almoço

através

do

vosso

olhar.


Tempere-me...


Me

torno

o

lanche

da

tarde

através

do

vosso

olhar.


Tempere-me...


Me

torno

jantar

através

do

vosso

olhar.


Tempere-me...


Me

torno

os

lanches

avulsos

da

madrugada

através

do

vosso

olhar.


Tempere-me...


Meu

gosto

de

perdedor

desaparece.


Tempere-me...


Meu

gosto

de

vencedor

em

vossos

lábios

tu

degustas

leve.


Inominável Ser

TEMPERADO

E

DEGUSTADO

PELO

OLHAR

DELA






0 Românticos Aqui Se Revelaram:

WEBREVISTA PROJETO C.O.V.A.

WEBREVISTA PROJETO C.O.V.A. - 1ª EDIÇÃO

17:10:00 Inominável Ser 0 Comments





Inomináveis Saudações a todos!

Dando um tempo nOS romances iniciados aqui neste blog, é com um prazerosamente abismal prazer que estou a escrever esta mensagem de apresentação de mais uma fase concreta de realizações que nascem do Projeto C.O.V.A.

Mesmo diante de um mundo que ultimamente pouco preza pela cultura e pelo conhecimento, pela capacidade de fazer acreditar que ainda se pode construir algo de valor e qualidade, eu e muitos outros continuam a lutar, mesmo contra tudo e todos que não apreciam as oportunidades de obtenção de cultura e o conhecimento. O objetivo do Projeto C.O.V.A. é esse, proporcionar, conjuntamente com a valorização do Universo Sombrio e de temáticas gerais que sejam propiciadoras de conhecimentos a mais a todos que os quiserem, uma organização de interesses culturamente amplos. Tais interesses não são levianos, nem medíocres e nem absurdos.

Creio nisto e, para o desespero de todos os meus inimigos e daqueles que pensam e dizem e torcem para que o Projeto C.O.V.A. não passe apenas de mais um projeto sem desenvolvimentos e finalidades concretas, faço hoje o lançamento oficial do nosso veículo virtual de divulgação de Arte, Literatura, Poesia, Música e Conhecimentos Gerais, a Webrevista Projeto C.O.V.A.

Será uma edição mensal, sempre contando com as contribuições dos que gostarem e apreciarem auxiliar na construção de algo. Nesta primeira edição, estes são os assuntos nela abordados:


Tributo A Álvares de Azevedo

Mitologia - Uma Pequena Introdução

Tatuagem - Algumas Considerações


Por se tratar de uma edição de estréia, as suas 52 páginas enfocaram em sua grande parte um dos maiores autores brasileiros, Álvares de Azevedo. Contamos, eu e a Elektra, a Demolidora Editora, que Administra junto comigo o fórum do Projeto C.O.V.A. no Forumeiros, com as contribuições de Alessandro Reiffer e Ariadne, Poesia e Desenho, dando uma apurada face à edição. Para baixá-la, escolham qualquer um dos links abaixo:


Media Fire


Badongo


Bigupload


Aos que se interessarem em enviar contribuições (artigos, poemas, contos, desenhos, ilustrações e fotografias) para as próximas edições, por favor, entrem em contato através deste e-mail:

projetocova@gmail.com

Leiam e enterrem-se nesta Cova!

Saudações Inomináveis a todos!




Melancolia - c.1618 - Domenico Feti


Links:

Projeto C.O.V.A. - Forumeiros

Projeto C.O.V.A. - Ning

Projeto C.O.V.A. - HI5

0 Românticos Aqui Se Revelaram:

Pedras,

Nas Pedras Que Escrevem Te Amo

01:21:00 Inominável Ser 0 Comments


eu fui escrevendo

do coração de todas as montanhas

aos planaltos serenos

das cidades perdidas


perdidas as chaves singelas

das portas amigas

de antigos quartos

que cuidavam de mim


cuidando do meu silêncio

até deixo minha espada cair

o escudo vai atrás

a armadura também


as armas que tenho

todas ao solo

eu nu fico contemplando

o vazio do meu romântico solo


o romantico solo eu acaricio

à procura daquelas pedras

que eu marquei

com o vosso Ser


vosso Ser naquelas pedras

é o eternizado prazer

que tive em escrever

eu te amo nelas


nas pedras que escrevem te amo

minhas cicatrizes se apagam

e eu sou novamente jovem

como antes havia sido ontem


nas pedras que escrevem te amo

sonho com o presente entesourado

nas remotas câmaras d'alma

vossa de senhorita amável


nas pedras que escrevem te amo

parou A Guerra

parou A Solidão

parou A Cova


nas pedras que escrevem te amo

avança O Jardim

avançam As Asas

avançam Os Romances


nas pedras que escrevem te amo

eu avanço em vossa direção

estou tão distante

mas mesmo assim eu vou


nas pedras que escrevem te amo

sou um romântico perfeito

e até que enfim

romantizo mais verdadeiro


nas pedras que escrevem te amo

arrogância minha abortada

vaidade minha abortada

amargura minha abortada


nas pedras que escrevem te amo

o barro das mágoas apagado

o barro das perdas apagado

o barro das indecisões apagado


nas pedras que escrevem te amo

até que enfim

te encontro apenas para mim

em algo risonho


nas pedras que escrevem te amo

diante delas

até sorrio porque

é você escrito nelas


nas pedras que escrevem te amo

você está perto

você está aqui bem perto

você não vai mais embora


nas pedras que escrevem te amo

você aqui fica

você aqui fala

você aqui é chama


nas pedras que escrevem te amo

te chamo

te chamo

te chamo


Inominável Ser

COM AS MÃOS

NAS PEDRAS

QUE ESCREVEM

TE AMO










0 Românticos Aqui Se Revelaram: