Beth Gibbons,

Anseios Vagarosos Pelo Vosso Olhar

18:52:00 Inominável Ser 0 Comments


observando o enevoado transparecer

das belas coisas que transitam leves e fluidas

no transparecer das raízes terminais

de toda as árvores que devem morrer,

querida que não me olhas,

sou o solitário viajante de um trem fadado

a desaparecer no exato instante em que

for guiado pelos fios das minhas lágrimas

formando um linha diretamente fadada

ao pior desfecho indesejado


as coisas puras do amor se fazem gratas

assim mesmo,

querida que não me olhas,

nesta hora poética de romantismo meio que

um tanto cheio de angústias mórbidas

e talento teatral trepando com as quedas

de lágrimas d'alma,

mas assim sou nesta hora malvada

na qual penso na malvadez do seu distante Ser

que teima em não querer ver

o meu Ser próximo a ti


as estradas são maravilhosamente longas

neste fim de dia longo e trabalhoso,

querida que não me olhas,

e aproveito para confessar meu amoroso

e prazeroso desgosto mui gerador destes

versos poéticos que lacrimejam tanto

ao balanço de Beth Gibbons em sua voz

que faz com que tudo de mim vibre

e lacrimejantemente se torne um vibrátil

corredor de lembranças tristes de

um romance que não estou a viver

contigo como se deveria viver


rodas perfuradas de carros em minha estrada

e fora daqui de minha romântica

ou quase romântica

morada de devaneios e sonhos mui tristes,

querida que não me olhas,

fora daqui muitos possuem o calor

da união do lábio doce com o lábio de

indefinível valor,

a união do lábio do homem que ama

com o lábio da mulher mais maravilhosa

por ele amada,

uma união que eu contigo queria,

e como queria,

estar agora a realizar

em um ponto exato de ônibus

onde não passasse nenhum outro ônibus

além daquele que sempre comporta

O Grande Romance Dos Amantes Eternos


eu agora não posso chorar aqui a escrever

e nem devo pensar em definir algum patamar

para algo ascender a fim de me fazer

sequer em um instante leve chorar,

querida que não me olhas,

pois o meu choro é mais eterno

do que a eternidade do vosso olhar

que distante de mim sempre vai estar,

o meu choro é uma ânsia estranha de um

homem estranho que ainda teima em

querer algo romantizar de forma mui estranha,

é o choro meu de angustiosa romaria

em direção a algum ponto de farinha amassada

pelos pés de algum alguém que talvez se importe

em pelo menos uma vez me olhar


Inominável Ser

ANSIOSO E AINDA PENSANDO

QUE SUA QUERIDA QUE NÃO

O VÊ

POSSA TALVEZ

VÊ-LO




0 Românticos Aqui Se Revelaram: