Alto Amor,

Para Magdalena Do Eterno Amor D'Alma Da Criação

11:38:00 Inominável Ser 0 Comments


Uma flor eu trazia do imenso mar que nasceu das lágrimas de Tétis, A Titanide, quando da Queda Dos Deuses Olímpicos na Idade De Lata que ora neste mundo aqui está. Tive rompantes de profecias, Vi as maravilhas e as decadências, amei, Amo, as maravilhas e as decadências... Romanticamente, meus trinta e um mil e dois anos de idade terrestre recompensados são em odes aos meus Romances. E uma ode a uma Mulher Imortal, a uma das milhares e milhares que meus braços já tocaram, cujo perfume imortalmente jaz em recantos imortais d'alma minha, vou erguer neste Romântico Portal. Para Magdalena, não a discípula de Ieshua, para Magdalena de algum sobrenome mortal e todos os Não-Nomes Imortais.


Presente Da Deusa

Imortalidade,

Beleza Das Altas

Coisas Reais.


Magdalena,

Querida Flor

Do Leito

Do Alto Amor.


Possante Princesa,

Lânguida Imperatriz,

Ser De Certeza

Do Ouro E Marfim.


Magdalena,

Finíssima Vestimenta

Das Estrelas

E Das Constelações.


Filha De Tétis,

Titanide Imortal

Que Rege

O Sonhar Imortal.


Magdalena,

Cósmica Senhora

De Amáveis

Laços Imortais.


Filha De Ondas

Do Grande Mar

Que Transcendem

O Cósmico Lar.


Magdalena,

Realizadora Toda

Da Oferta De Delícias

Do Desprendimento Total.


Glória Do Alto,

Glória Do Um,

Santa Sábia,

Deusa Do Alto Amor!


Magdalena,

Humana Que Se Elevou

Qual Beatriz De Dante

No Alto Da Rosa!


Despertar De Louvores

Ao Um,

Desperta Senda

De Louvor Uno!


Magdalena,

Amorosa Criança,

Amorosa Mulher,

Mulher Eterna!


Dignidade Das Orações

Que Se Fazem Diante

Das Portas Cálidas

Do Útero Do Um!


Magdalena,

Magdalena,

Magdalena,

Teu Útero É O Um!


Magdalena,

Magdalena,

Magdalena,

Teu Útero É O Um!


Magdalena,

Magdalena,

Magdalena,

Teu Útero É O Um!


Que Eu Renasça

De Teu Útero

De Amor Alto

De Alto Amor!


Que Todos Os Poetas

Renasçam Sublimes

Do Teu Útero

De Um Amor!


Que Todos Os Seres

Renasçam Românticos

Do Teu Útero

Que É Todo Um Amor!


Abro um instante para um breve poético descansar, lágrimas dos meus olhos estão a brotar, mas romanticamente, por Magdalena, ao invés de chorar em uma cama tenho que continuar a romanticamente poetizar as maravilhas e as decadências que nesta Existência e em todas as Existências minhas estou a Amar...


Inominável Ser

PARA MAGDALENA

DE ALGUM SOBRENOME

MORTAL

E DE TODOS

OS NÃO-NOMES

IMORTAIS







0 Românticos Aqui Se Revelaram: