Realidade

Expressando A Realidade

00:52:00 Inominável Ser 2 Comments


Meu rosto

tem um quê

de tristeza,

eu rumo para

um rumo sinuoso

repleto de alguns

melancólicos estampidos

de sobrevidas...

Sobrevivo

antecipando

algum

remédio...

A pele,

a carne,

como clamam

por tua balsâmica

vestimenta carnal...

Que

tédio,

que

merda,

romance

assim

distante...

Mas,

o que significa

a distância

quando verdadeiramente

se pode amar

e sentir que se é

verdadeiramente amado?

O que significa

isso tudo

da distância?

Um carma...

Um desafio...

Uma gwerra...

Uma prova...

Um fio...

Um frio...

Um calor...

Uma ponte...

Que romantismo realista

está se revelando...

Porém,

melhor assim

do que sonhar

com princesas

e princípes encantados

de mundos de contos

de nadas.

Realidade...

Realidade...

Realidade...

AGRADEÇO-TE

POR

TUDO!!!


Inominável Ser

FELIZ PELA

SINCERIDADE

DA REALIDADE







2 Românticos Aqui Se Revelaram:

Colo Palavras

Das Palavras Ecoantes Em Vosso Colo

03:42:00 Inominável Ser 0 Comments


Minerações inteiras de mitos

passam pelos meus poéticos

pensamentos que tentam

romantizar o vosso colo,

colo assim exposto na mais sagrada

exaltação que vós fazeis

à vossa própria beleza.


No caminho de um possível romântico

como eu,

ver assim um colo

é uma proeza que merece beijos

que durem algumas horas inseridas

dentro de todas as horas inseridas

nas escritas de Cronos acerca

da Temporal História...


Vós gostais de mostrar-me assim

o sagrado colo,

um colo que atrai o calor sagrado

dos meus não tão sagrados lábios,

mas o que não se torna

sagrado

tocando a divinal volúpia

de vosso colo?


Que divinal colo,

dançam nele as visões todas

dos meus sonhos em relação

a beijos perduráveis,

mais uma vez falo

de beijos infindáveis,

sempte flarei,

olhando vosso colo,

de beijos que não

se acabem...


É admiração pavorosa,

é surpresa espantosa,

é certeza gloriosa,

aproximo meus lábios

de vosso colo,

tu se mostras mais

e até consigo saber

o que mais vai mostrar-me...


Vosso colo,

meus beijos nele,

divinizando-te a pele,

divinizando meus lábios,

eu não sabia que poderia

como meus beijos

fazer divino o calor

de uma moça bela

tão dada a oferecer-me

o colo

e algo mais que apenas

aos invisíveis entre nós

interessa...


Este é um poema

romântico

e não um poema

erótico,

leitores e leitoras virtuais

de diversos tipos

de colos.


E não me invejes,

homem,

deixes que um dia

uma bela mulher

ofereça-vos o colo.


E não invejes

aquela a qual beijo o colo,

ofereças vosso colo

um dia

ao vosso belo homem amado.


E entreguem-se,

homens,

mulheres,

a beijos

os mais

divinizantes

e divinizados...


Muito ecoa

em cada

feminil colo...


Inominável Ser

BEIJANDO O

DIVINO COLO

DE UMA

BELA MULHER







0 Românticos Aqui Se Revelaram:

Espera,

Grande Espera Das Mais Silenciosas...

22:48:00 Inominável Ser 3 Comments


À noite,

quando me confronto

com a realidade,

quando me abordo

na infelicidade,

quando me aborto

na solidão,

então,

fico frente a frente

com a serenidade

do meu

Existir...

Não quero reclamar,

não quero chorar,

quero apenas

te amar

te amar

te amar

te amat

te amar

te amar

te amar

te amar

te amar...

No entanto,

as condições

são precárias

e nem mesmo

o sonho mais romântico

pode desfazer

de uma hora

para a outra

forças que se fazem

bem solidárias

com a minha angustiante

trajetória...

Tu,

tão longe...

Eu,

muito perto

da loucura plena

pelos problemas

que me fazem

chorar

e me desesperar...

Qual homem suportaria

tantos anos solitários

e quando,

enfim,

encontra uma amada,

uma mulher que

o deseje,

uma mulher que

o ame,

não pode

abraçá-la,

não pode

beijá-la?

Assim,

isso,

assim,

eu sou um

homem assim,

desempregado fodido,

pobre fodido,

poeta fodido,

a romantizar

por uma lira distante

que quero tocar...

Não se vá,

lira...

Não se vá,

lira...

Não se vá,

lira...

Espera,

a espera,

silenciosa

espera,

a silenciosa

espera...

Por que não

esperar

e silenciar?

Lira,

espera...

Lira,

silencia...

Esta sina minha

não é eterna.

E o nosso romance

podemos tornar

eterno.


Inominável Ser

ESPERANDO

E

SILENCIANDO







3 Românticos Aqui Se Revelaram:

Álvares de Azevedo,

A Melancolia Vossa Que Venho A Mui Amar

20:55:00 Inominável Ser 3 Comments


E tu, imagem,
Ilusão de mulher, querido sonho,
Na hora derradeira, vem sentar-te,
Pensativa e saudosa no meu leito!
O que sofres? que dor desconhecida
Inunda de palor teu rosto virgem?
Por que tu’alma dobra taciturna,
Como um lírio a um bafo d’infortúnio?
Por que tão melancólica suspiras?

Álvares de Azevedo



Melancolia

da

negra noite

oferecida

ao meu

irradiar.


Irradiação

de

toda simpatia

ao

brilho magnífico

do vosso olhar.


Olhar

de

pantera maior

que

vaga bem lá

onde tudo está.


Tudo

que

não foge

do

meu alcance

de bardo em lar.


Lar

que

é o dos poetas

amigos

do bar cantante

de Byron.


Bryron

no Vale Dos Poetas Perdidos

para

nós cantando uma

canção antiga.


Canção

que

vem a dizer

nossos

nomes de prazer

e de alegrias.


Alegrias

que

melancólicas são

na

combinação precisa

de nossas melancolias.


Melancolias

que

fazem coro

com

outros cantos

bem mais antigos.


Antigos

que

somos melancólicos

amando-nos

em tons

mui sombrios...


Sombrios

amores

melancólicos

próximos

do

Antigo...


Antigo

a

visitar

nossas

pagãs

lembranças...


Lembranças

do

mesmo

amor

que

compartilhamos...


Compartilhamos

e

melancolicamente

moldamos

como

nosso ninho...


Inominável Ser

MELANCOLICAMENTE

AMANDO

A MELANCOLIA

DELA

E COM ELA

VIVENDO

UM AMOR

ETERNAMENTE

ANTIGO

E MELANCÓLICO







3 Românticos Aqui Se Revelaram:

Estrelas,

Muitas São As Coisas Que São Ditas Pelas Ondas De Poder Do Vosso Olhar

19:40:00 Inominável Ser 1 Comments


As palavras somem em mim

em um momento de intimidade

que tenho assim

qual um homem muito idoso

e muito cansado

de tanto chorar...

E como chorei,

cada pedra cantando

no meio da esquina

de qualquer rua

cheia de sinas

pode contar cada gota

das lágrimas que

verti por aí...

E como sofri,

as asas de perdizes

que voaram em meu redor

quando no escuro

do meu quarto

eu estive a me derramar

em lágrimas,

a cada batida,

podem contar

do quanto eu sofri...

Eu tinha uma navalha,

joguei fora,

tentei cortar os pulsos,

tentei me jogar também

do alto de uma

ponte,

sem sucesso,

não quis me livrar

deste mundo aqui...

Rondei as ruas,

procurei as paixões

mais fáceis

que podem surgir

na vida de um homem,

tentei ser homem

e apenas aromanticamente

tornei-me um rato

cheio de fome...

Como eu

chorei,

como eu

sofri,

como eu

girei

girei

girei

girei

girei

girei

girei

girei

girei

girei

girei

em busca da atenção,

em busca do calor,

em busca do amor,

de uma mulher

por mim...

Quem pode contar

a quem quiser

ouvir o cair

das minhas angústias

em pratos que ofereci

aos Anjos Da Dor

são Estes mesmos

bem próximos aí

de cada um...

Tu podes ou não

ter como eu

chorado,

sofrido,

girado

girado

girado

girado

girado

girado

girado

girado

girado

girado

girado

em busca de

uma atenção,

em busca de

um calor,

em busca de

um amor,

de uma mulher

ou

de um homem...

Podendo ou não

assim ter

sobrevivido

à bruta tempestade

que empurra tudo

em nossa direção,

garanto a cada um

que a atenção,

o calor,

o amor,

verdadeiramrnte,

um dia pode chegar...

Pode não ter

o calor da adolescência

ou

a inocência do primeiro

amor

vivido na infância,

mas

se aquela

ou aquele

que tu encontrares

possuir olhos que exalem

um poder

inecoravelmente

voraz e arebatador

de vossas existências,

eis,

enfim,

o que esquenta vosso

sangue,

o que esquenta vosso

corpo,

o que esquenta vossa

alma,

como jamais,

antes,

nada ou alguém

esquentara!

Amor

Amor

Amor

Amor

Amor

Amor

Amor

Amor

Amor

Amor

Amor,

Maduro Amor

Como O Poder,

O Mesmo Poder,

Que Alimenta

As Estrelas

E Explode

Em Nosso Olhar

De Contempladores

Noturnos

Do Firmamento

Estelar!



Do meu outono os desfolhos,
Os astros do teu verão,
A languidez de teus olhos
Inspiram minha canção...
Sou poeta porque és bela,
Tenho em teus olhos, donzela,
A musa do coração!

Álvares de Azevedo



Inominável Ser

ALIMENTADO

POR TAL

AMOR







1 Românticos Aqui Se Revelaram: