Álvares de Azevedo,

A Melancolia Vossa Que Venho A Mui Amar

20:55:00 Inominável Ser 3 Comments


E tu, imagem,
Ilusão de mulher, querido sonho,
Na hora derradeira, vem sentar-te,
Pensativa e saudosa no meu leito!
O que sofres? que dor desconhecida
Inunda de palor teu rosto virgem?
Por que tu’alma dobra taciturna,
Como um lírio a um bafo d’infortúnio?
Por que tão melancólica suspiras?

Álvares de Azevedo



Melancolia

da

negra noite

oferecida

ao meu

irradiar.


Irradiação

de

toda simpatia

ao

brilho magnífico

do vosso olhar.


Olhar

de

pantera maior

que

vaga bem lá

onde tudo está.


Tudo

que

não foge

do

meu alcance

de bardo em lar.


Lar

que

é o dos poetas

amigos

do bar cantante

de Byron.


Bryron

no Vale Dos Poetas Perdidos

para

nós cantando uma

canção antiga.


Canção

que

vem a dizer

nossos

nomes de prazer

e de alegrias.


Alegrias

que

melancólicas são

na

combinação precisa

de nossas melancolias.


Melancolias

que

fazem coro

com

outros cantos

bem mais antigos.


Antigos

que

somos melancólicos

amando-nos

em tons

mui sombrios...


Sombrios

amores

melancólicos

próximos

do

Antigo...


Antigo

a

visitar

nossas

pagãs

lembranças...


Lembranças

do

mesmo

amor

que

compartilhamos...


Compartilhamos

e

melancolicamente

moldamos

como

nosso ninho...


Inominável Ser

MELANCOLICAMENTE

AMANDO

A MELANCOLIA

DELA

E COM ELA

VIVENDO

UM AMOR

ETERNAMENTE

ANTIGO

E MELANCÓLICO







3 Românticos Aqui Se Revelaram:

Cria disse...

Vim te ler e me encantar ! Meu carinho.

Cria disse...

Vim te ler e me encantar ! Meu carinho.

Cria disse...

Vim te ler e me encantar !!