Românticos Rugidos Para Uma Divinal Leoa

Românticos Rugidos Para Uma Divinal Leoa - Rugindo Para O Rugir Da Leoa

12:00:00 Inominável Ser 2 Comments


Assim as coisas vão sendo

completadas,

esta noite encerrando um

poético ciclo de

poéticos leoninos rugidos...


Noite de domingo,

não sei se 31

de janeiro

ou se trinta e um

de todos os janeiros...


Um domingo,

Leoa,

do ano de 2010

ou de dois mil e dez

eternos anos...


Com a simplicidade

e a humildade de um

poeta,

apenas um poeta,

eternizo-te...


Vencendo as barreiras

da distância

e do não ver-te diante

de meus olhos,

eternizo-te...


Vigilante,

sempre rugindo,

respeitando-te sempre,

Leoa,

eternizo-te...


Não sei se outro poeta

poderá vir a também

eternizar-te,

mas tu mereces todas

as eternidades...


Não sei se imaginei

demais aqui,

vinte e sete vezes rugindo

atrás do que está

divinamente em ti...


Não sei se

O Tempo

irá eternizar

toda a poesia

rugindo aqui...


No entanto,

Leoa,

como poeta,

estou feliz,

rugindo feliz...


Eu a coroei como

uma Grande Musa,

assim eu me sinto

mui feliz,

rugindo feliz...


Eu a elevei

a Grandes Alturas,

assim eu me sinto

mui feliz,

rugindo feliz...


Eu a toquei

na Grande Alma,

assim eu me sinto

mui feliz,

rugindo feliz...


O vento e as vozes

no vento

trouxeram-me todos os

versos aqui

rugindo...


O ar e as vozes

no ar

trouxeram-me todos os

sentimentos aqui

rugindo...


A areia e as vozes

na areia

trouxeram-me todas as

Verdades aqui

rugindo...


Tu és tudo o que aqui

eternizado está

junto contigo,

Leoa,

exatamente tudo...


Acredites,

feches os olhos,

e em todas as noites

mais solitárias

dos domingos


em tua morada,

ouças as vozes que

a mim trouxeram

estes românticos

rugidos


assim gritarem

dentro do

Grande Silêncio

Do Fogo

De Todas As Horas:


LEOA!!!


LEOA!!!


LEOA!!!


LEOA!!!


LEOA!!!


LEOA!!!


LEOA!!!


LEOA!!!


LEOA!!!


E toques na juba

do leão

que estará deitado

à tua direita,

teu Amigo Maior!


E,

rugindo,

ofereças à Criação

o Poder do teu

Leonino Ser Maior!


Rugi!

Rugi!

Rugi!

Rugi!

Por ti!


Leoa

Leoa

Leoa

por ti

rugi!


Inominável Ser

NO VIGÉSIMO SÉTIMO

RUGIDO

PARA

A DIVINAL LEOA

EM

ETERNÍSSIMO CRESCENTE

RUMO

AO

INFINITO DO INFINITO









2 Românticos Aqui Se Revelaram:

Românticos Rugidos Para Uma Divinal Leoa

Românticos Rugidos Para Uma Divinal Leoa - Rugindo Para O Sonhar De Olhos Abertos Da Leoa

12:00:00 Inominável Ser 2 Comments


Liberto das amarras

da matéria que me afoga,

afagado vou sendo pelos

nevoeiros do mundo além

dos físicos sentidos


e diretamente vou indo

em uma estrada cheia

de rugidos,

estrada formidável que

galgada foi por ti,


Sonhadora Leoa,

senhora doutrinante de um

noturno poeta como eu,

poeta que ao ver-te sonhar

de olhos abertos


sente a solar energia

dos dias de verão

e até no coração e

nos lábios

um sorriso faz aparecer!


Metade de teus sonhos,

metade de teu alvorecer,

apenas a metade,

eu queria poder decifrar

e ter!


Metade destes teus sonhos

de olhos abertos,

apenas a metade,

eu queria mesmo poder

decifrar e ter!


Dentro de todas as névoas

do Reino do

Mestre Dos Sonhos,

sonho e sonho e sonho

e sonho e sonho e sonho!


No entanto,

para que O Mistério,

O Grandioso Mistério,

seja mantido,

não me atrevo a decifrar


toda a moldura

do teu Desperto

Sonhar,

poeticamente respeito

o vosso direito


de assim

Sonhar,

de assim navegar

pelos planos mais livres

da Criação!


Sonhos,

Leoa,

Os Sonhos,

Reais Visões,

Reais Mundos!


Sonhos,

Leoa,

Os Sonhos,

Reais Tecidos,

Reais Campos!


Sonhos,

Leoa,

Os Sonhos,

Reais Jornadas,

Reais Enredos!


Com o que tu Sonhas

Desperta,

Leoa,

apenas

O Mestre Dos Sonhos,


com areias nas mãos,

negras vestes

e negros olhos que são

A Grande Noite,

Sabe-O!


Eu,

leonino poeta,

apenas continuo

Sonhando e Sonhando

e Sonhando e Sonhando!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Inominável Ser

NO VIGÉSIMO SEXTO

RUGIDO

PARA

A DIVINAL LEOA









2 Românticos Aqui Se Revelaram:

Românticos Rugidos Para Uma Divinal Leoa

Românticos Rugidos Para Uma Divinal Leoa - Rugindo Para A Eterna Oculta Chama Da Leoa

12:00:00 Inominável Ser 0 Comments


Transito pelas noites

de missas solitárias

regidas por padres

que falam de chamas

bem aliviantes...


Alívio...

Um pouco dele...

Do alívio,

para este meu caminho

de noturna solidão...


E,

em mais uma noite,

Leoa,

vejo-me rugindo para

as tuas chamas.


Sim,

Leoa,

tuas chamas mais vistas

que são apenas pequenas

diante


Daquela Eterna

Oculta Chama,

aí dentro,

de vosso Ser

rugindo rugindo!


Eis o que

vejo,

ardente:

A Eterna Oculta Leonina

Chama Da Realeza!


Eis o que

vejo,

mais ardente:

A Eterna Oculta Diurna

Chama Da Beleza!


Eis o que

vejo,

ardente ardente:

A Eterna Oculta Cósmica

Chama Da Nobreza!


É A Nobreza

Das Solares Deusas”,

assim diz-me

a vossa Eterna Oculta

Chama!


É A Beleza

Das Solares Musas”,

assim diz-me

a vossa Eterna Oculta

Chama!


É A Realeza

Das Solares Imperatrizes”,

assim diz-me

a vossa Eterna Oculta

Chama!


Assim eu digo

ao vosso

Eterno Oculto Fogo,

Leoa:

IMPERES!!!


Assim eu digo

ao vosso

Eterno Oculto Fogo,

Leoa:

EMBELEZES!!!


Assim eu digo

ao vosso

Eterno Oculto Fogo,

Leoa:

ENOBREÇAS!!!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa


Inominável Ser

NO VIGÉSIMO QUINTO

RUGIDO

PARA

A DIVINAL LEOA









0 Românticos Aqui Se Revelaram:

Românticos Rugidos Para Uma Divinal Leoa

Românticos Rugidos Para Uma Divinal Leoa - Rugindo Para Cada Palavra Da Leoa

12:00:00 Inominável Ser 0 Comments


Saem as palavras

de meus internos púlpitos,

a minha religião

é A Poesia,

A Deusa Poesia.


Saem palavras,

saem versos,

saem verbos,

plurais e singulares

românticas gramáticas.


Saem as palavras

de ti,

não apenas de teus lábios,

Leoa,

de teu Ser em si mesmo.


Saem palavras,

eu ouço a voz

d'alma tua,

voz gramaticalmente

imemorial.


Uma voz,

mil e uma palavras

em infinitudes

de palavras,

que há muito ouço!


Uma voz,

uma palavra

em infinitudes

de palavras,

que há muito eleva-se!


Uma voz,

mil infinitudes

de palavras,

ouvidas nas praias

das minhas solidões!


Palavras,

leoninas palavras,

as tuas palavras,

Leoa,

imperantes palavras!


Palavras,

leoninas palavras,

as tuas palavras

Leoa,

rugindo amadas!


Palavras,

leoninas palavras,

as tuas palavras,

Leoa,

chegando aqui aladas!


Fala,

Leoa,

teu Verbo

é o mesmo

da Grande Luz!


Fala,

Leoa,

teu Verbo

é o mesmo

da Grande Força!


Fala,

Leoa,

teu Verbo

é o mesmo

da Grande Energia!


Fala,

Leoa,

teu Verbo

é o mesmo

da Grande Unidade!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Leoa!


Inominável Ser

NO VIGÉSIMO QUARTO

RUGIDO

PARA

A DIVINAL LEOA









0 Românticos Aqui Se Revelaram: