Espírito Eterno,

Falando A Linguagem Das Ocultas Ondas

00:28:00 Inominável Ser 2 Comments


Órgãos metálicos,

vertigens homéricas,

Virgílio me disse,

Homero me ensinou,

Dante agora reforça,

esta minha capacidade

de ouvir as

ocultas ondas

de um amor

que dança bem dentro

desta minha força

ao poetizar.

Digo assim,

digo assim tão

estranho,

porque imagino

as horas que ainda

não foram contabilizadas

diante dos amantes

que se deitam

ao colo

das Senhoras Amadas.

Amo assim,

de um modo dançante,

metalicamente voraz

na silnciosa calmaria,

sem tocar em minha

Amada Real,

porque exatamente

não quero tornar

mui banal

a ternura presente

em meu coração

enroscado total

na dilatação do Kosmos

perto do Espírito

cosmicamente poeta

que sou.

Poetas Cósmicos,

Cósmicos Poetas,

Vós Sabeis,

como eu Sei,

dessas Ocultas Ondas,

indo ao cabo

dos mundos,

batendo nas praias

dos submundos,

extraindo mares

nos continentes

que ainda não foram

descobertos...

Nado nessa poesia,

poesia de todas as

Ocultas Ondas,

as tristezas desaparecem,

sou o peixinho poeta

amando,

peixinho jorrando

nas músicas lentas

que o

Grande Silêncio

dota de fecunda

maresia...

Falo uma linguagem

apenas traduzível

pelos amigos amantes

do que as palavras

nos movimentos amorosos

não podem dizer

aos mortais ouvidos

hábeis em não

saberem escutar

o barulho de cada

Oculta Onda

no Grande Mar...

Noturna Dama

Das Ocultas Ondas,

terei contigo

a chance

de receber aquilo tudo

que meus versos

nadantes

abertamente insinuam

nestes meus nados

afundantes?


Inominável Ser

AFUNDANDO

EM NADOS

POR OCULTAS

ONDAS









2 Românticos Aqui Se Revelaram:

Cria disse...

Uauuu, poeta amigo ! INTENSA expressão ! Meu carinho e o desejo de uma semana feliz.

Expressão profundamente simétrica, Cria, de uma profunda especial menção ao que se oculta nas ondas do Grande Mar...