Meus Treze Primeiros Romances

Meus Treze Primeiros Romances - O Romântico Iniciar

18:50:00 Inominável Ser 2 Comments


Inomináveis Saudações a todos vós, românticos seguidores, românticos leitores, românticos visitantes e nada românticos visitantes.


Para cada poeta do mundo, há um começo de sua poesia, por mais particular que a mesma seja. Com este que vos fala, não foi diferente, já que, ao meditar sobre o porquê de ter criado um blog de poemas românticos em um momento da História no qual o Romantismo encontra-se, digamos, um tanto quanto anulado devido ao desenvolvimento cada vez maior da insensibilidade cotidiana, lembrei-me de um certo diário escolar do ano de 1995... No citado diário, no espaço destinado aos recados da coordenação escolar, escrevi treze poemas de romântica natureza, nascidos após a minha primeira grande desilusão amorosa, a de um amor platônico, meu primeiro amor, no ano anterior. Nos treze poemas, está o embrião deste blog, o qual relutei muito em criar devido ao meu desencanto para com os relacionamentos amorosos; relacionamentos, a maioria das vezes, platônicos, fantasiosos ou, quando concretizados, fadados logo ao término.


Ironicamente, mesmo desiludido com os relacionamentos e não acreditando nem mais nos mesmos, no ano de 2007 fundei este blog batizando-o com o nome de Romances De Um Nada Romântico. A ironia do nome refere-se, claro, ao fato de querer romanticamente escrever estando-se totalmente fora de qualquer romance na vida que existe fora da realidade virtual. No entanto, o que começou timidamente foi ganhando força proporcionalmente aliada ao escrever de cada verso e, na maioria das vezes, ao som de Apart, do The Cure, na versão gravada pelo Volstad, contando com a participação especial de Fernando Ribeiro, vocalista do Moonspell (esta versão da música foi lançada no álbum Our Voices – Tribute To The Cure, do ano de 2004; e tocou aqui neste blog, caso meus seguidores mais antigos lembrem). O que antes até poderia parecer uma brincadeira, devido ao fato de que eu mesmo nem me acreditava nada romântico, tornou-se romanticamente realizado como possível. E tudo iniciou-se a partir daqueles poemas escritos no ano de 1995...


Hoje, quinze anos depois, a situação é bem diferente e não há mais platonismo. Estou vivenciando um verdadeiro romance, com uma mulher real, a qual não se trata de um sonho, de uma metáfora, de uma ilusão moldada pela minha mente que, antigamente, sonhava absurdamente com o que eu sabia que não podia ocorrer. Quinze anos depois daqueles treze poemas e próximo de eu completar 34 anos (aos 3 de agosto), enfrentando problemas vários, bem sérios, em minha vida particular, e insistindo em continuar todo o meu trabalho na Internet, considero-me realizado, pleno e tranquilo, apesar da grande melancolia e tristeza que estão presentes na maioria de meus poemas e textos espalhados pela rede. Quinze anos depois, quinze anos... E aqueles treze poemas, escritos quando eu tinha entre 18/19 anos, que estavam esquecidos aqui em minha morada, ressurgem e falam comigo... E querem falar convosco... Querem romanticamente falar...


Pouco me direcionei, diretamente, nestes quase três anos de existência deste blog, aos meus leitores. Hoje, vou ao encontro de cada um, seguidor, visitante, românticos e não-românticos, falando-lhes abertamente do que me motiva a romanticamente poetizar: a determinação que possuo em continuar a amar a minha escrita e a insistir, resistir e existir no meio literário virtual com integridade, sem querer ganhar fortunas ou a tolice de querer ser famoso. Não busco a mera fama, mas eternizar-me como poeta, como escritor e, isso, é totalmente um sonho dos mais românticos. Não escrevo por dinheiro, escrevo por Amor, como não me canso de dizer e escrever; se escrevesse com intenções de tornar-me senhor de uma imensa conta bancária, estaria a destruir toda uma Tradição, Tradição esta que refere-se aos poetas da Humanidade, conhecidos e anônimos, de todos os estilos, que escreviam exatamente como eu escrevo. Tu, que é poeta ou poetisa, sabe do que estou a falar, e se entrega existencialmente em cada letra de cada verso ao escrever, como eu sempre faço. Tu, que ama ler poemas, pode reconhecer, especialmente neste blog, a minha dedicação e o meu esforço em aproximar-me cada vez mais dos que, no passado e no presente romantizam, seja aqui no Plano Virtual, no Plano Físico ou no Plano Astral.


Mesmo quem não creia na Espiritualidade, deve notar que todo poeta é divinamente inspirado e que não existem maus poetas e, sim, poetas que a atual civilização incompreende. O mesmo ocorre com escritores; sou escritor e poeta e, diante de tudo que tenho na Internet escrito em meus nove blogs, diante de tudo o que eu defendo e penso, sei que muitas pessoas incompreendem-me. Mesmo assim, eu continuo... Isto é ser romântico, afirmo isto ou não? Cabe a cada um de vós decidir, acompanhado as postagens dos treze poemas que são os embriões deste romântico blog. As românticas poéticas postagens contarão com as fotografias de Medye Platinum, a mesma modelo de Românticos Rugidos Para Uma Divinal Leoa. E, falando em poetizar...



Vou Continuar Amando


Vou continuar amando,

mesmo diante da

tempestade assassina

de meus sonhos.


Vou continuar amando,

mesmo abalado

por um peso assassino

acima de meus ombros.


Vou continuar amando,

mesmo que caiam

mil bombas atômicas

em meu redor.


Vou continuar amando,

mesmo que sequem

os rios de águas

da fonte de lá.


Vou continuar amando,

mesmo que se apaguem

as colunas de fogo

dos templos de cá.


Vou continuar amando,

mesmo que um tiro

venha diretamente

a me assassinar.


Vou continuar amando,

mesmo que eu adoeça

e pare em um leito

de hospital.


Vou continuar amando,

mesmo que meus órgãos

faleçam por incapacidade

de respirar.


Vou continuar amando,

sou um poeta,

simplesmente

um poeta!


Vou continuar amando,

seja na luz,

seja na treva,

seja na relva!


Vou continuar amando,

fazendo assim,

escrevendo assim,

poetizando assim!


Vou continuar amando,

amem como eu,

derramem-se como eu,

ampliem-se como eu!


Vou continuar amando,

Verdadeiro Deus,

muito obrigado por

poeticamente amar-me!


Inominável Ser

CONTINUANDO

A AMAR




Escrito ao som de Apart, na versão do Volstad, com a participação especial de Fernando Ribeiro.


Saudações Inomináveis a todos vós, românticos seguidores, românticos leitores, românticos visitantes e nada românticos visitantes.


Sábado, 31 de julho de 2010








2 Românticos Aqui Se Revelaram:

Fotografia,

Eterna Fotografia No Preto-E-Branco De Minhas Tão Humanas Memórias

00:00:00 Inominável Ser 4 Comments


Click!


Como um filme

em minha humana mente,

visualizo uma eterna fotografia

em preto-e-branco,

apaixonada maneira

de relembrar

e refletir

acerca de antigos

amorosos sonhos...


Click!


Um clique...


Click!


Miríades de fotos...


Click!


Dois cliques...


Click!


Milênios de fotos...


Click!


Três cliques...


Click...


Eternidade de fotos...


Click!


Click!


Click!


Click!


Click!


Click!


Click!


Click!


Click!


Eternizações de momentos

de pura cristalina

imaginação,

alimentando no

antigamente de meu

humano caminhar

torres de sonhos

que cairam fulminadas

pelos raios das realidades

assassinando cada ilusão

que pousava dentro

de minha

poética intensidade...


Click!


Eu clico na câmera

de minhas memórias,

é cinzenta e negra e branca

a atmosférica geração

de idéias,

as antigas idéias

dentro de minhas

novas e futuras ideías,

ideías da construção

de um álbum maior

no qual caibam as fotos

todas

de minhas amorosas

decepções e realizações...


Click!


No álbum que moldo

a todo fotografar

presente em meu

memorial de sonhos

feitos e desfeitos e refeitos

e de maus e bons efeitos,

ficarão as fotos todos,

as fotos

dos momentos de alegria,

as fotos

dos momentos de desilusão,

as fotos

dos momentos de fantasia,

as fotos

dos momentos de amor,

as fotos

dos momentos de sexo,

as fotos

dos momentos de solidão,

as fotos

dos momentos de abandono,

as fotos

dos momentos de dor...


Click!


Sou um fotógrafo

dos mais profissionais,

registrando os momentos

decisivos e definitivos

de meu próprio filme,

que é de

comédia,

terror,

horror,

ação,

suspense,

drama,

conceitual,

papo-cabeça,

independente

e amor

ao mesmo tempo

dentro da velocidade

dos cliques dos dedos

de minhas tão humanas

memórias...


Click!


Nenhuma foto queimada...


Click!


Infindas fotos digitalizadas...


Click!


Infindas fotos organizadas...


Click!


Infindas fotos

continuamente

contempladas...


Click!


Inominável Ser

NOS CLIQUES

DE SUAS

TÃO HUMANAS

MEMÓRIAS








4 Românticos Aqui Se Revelaram:

Alto Amor,

Entre As Maiores Apaixonantes Meditações D'Alma Poética Amante Do Verdadeiro Amor

00:00:00 Inominável Ser 0 Comments


"Meu Amor, não é nada: - Sons marinhos

Numa concha vazia, choro errante...

Ah, olhos que não choram! Pobrezinhos...

Não há luz neste mundo que os levante!"


Florbela Espanca



Há A Divindade

em toda Alma Poética,

na Poesia D'Alma

das Mais Altas Atmosferas.


Deus reluz

nos românticos poetas

como Fogo Esplêndido

Aliado Ao Fogo Inspirador.


De que valeriam

todos os poemas

d'amor

sem Deus?


De que seriam

as palavras

d'amor

sem Deus?


De onde trariam

os poetas

sonhos d'amor

sem Deus?


De onde vem

O Amor

a não ser

de Deus?


Onde está

O Amor

a não ser

em Deus?


Quem Ama

O Amor

ciente de estar

em Deus?


Deus,

O Verdadeiro Amor:

isto é o que vêem

os poetas como eu.


Deus,

O Verdadeiro Amor:

as lágrimas em versos

de poetas como eu.


Deus,

O Verdadeiro Amor:

a Romântica Razão

de poetas como eu.


Deus,

O Verdadeiro Amor:

O Alto Fogo Inspirador

de poetas como eu.


Aos poetas como eu,

digo que

Amem ao Amor,

Amem a Deus!


Aos poetas como eu,

digo que

sejam no Amor

Unos com Deus!


Aos poetas como eu,

digo que

façamos Amor

com Deus!


As nossas

Amadas Musas

são

Presentes de Deus!


As nossas

Amadas Musas

são

Relíquias de Deus!


As nossas

Amadas Musas

são

Realidades de Deus!


A Divindade,

A Maior Das Musas,

Alegra-Se Em Nossos

Poemas D'Amor!


A Divindade,

A Maior Das Musas,

Desce Para Tornar-Se

Nossos Poemas D"Amor!


A Divindade,

A Maior Das Musas,

É Os Nossos

Poemas D'Amor!


AMO-TE,

AMOR!!!


AMO-TE,

AMOR!!!


AMO-TE,

AMOR!!!


AMO-TE,

POESIA!!!


AMO-TE,

POESIA!!!


AMO-TE,

POESIA!!!


AMO-TE,

DEUS!!!


AMO-TE,

DEUS!!!


AMO-TE,

DEUS!!!



"E, olhos postos em ti, digo de rastros:

'Ah! Podem voar mundos, morrer astros,

Que tu és como Deus: Princípio e Fim!...'"


Florbela Espanca



Inominável Ser

A APAIXONADAMENTE

MEDITAR

NO PRINCÍPIO

E NO FIM









0 Românticos Aqui Se Revelaram:

Alto Amor,

Quando Havia Mais Amor Nesta Humanidade

00:00:00 Inominável Ser 2 Comments




Quando havia mais amor

nesta Humanidade,

vivia-se um Romance,

O Grande Romance

Dos Seres Humanos

Com O Alto.

A alegria vigorava,

era o vigor das

épocas douradas

nas quais diademas

eram lançados

aos pés dos reis

e rainhas

que conduziam

as vidas

como flores colhidas

em constantes

primaveras.

Amantes rodopiavam

ao som das flautas

e das harpas

de Anjos Amorosos

encarnados,

os sonhos d'amor

exaltavam ao Criador,

O Alto Pai

Do Amor.

Os casamentos

eram oferecidos

ao Grande Romance

Cósmico,

almas uniam-se

além da carne,

almas uniam-se

ao Espírito

Do Verdadeiro Amor.

Isso mesmo,

atual Humanidade,

nós aqui,

neste mundo,

tinhamos O Alto Amor,

Deus aqui Descia

com Legiões Amorosas

de Anjos Do Seu Amor

e coroava cada

Romance

abaixo do sol que

aquecia cada humana

alta razão de

amar.

Oferecido ao Pai

era cada Romance

e cada fruto

de um Romance

unia ainda mais

as cadeias de realizações

trazidas ao

terrestre solo

por causa do

Alto Divinal Toque

Do

Verdadeiro Amor.

Traduzia-se em cada

rosto,

traduzia-se em cada

família,

A Alta Linguagem

Do

Alto Verbo Amar.

Todos exaltavam

O Kosmos

e os

Sete Geradores Alados

Da Seiva Amorosa

derramavam,

guiados pelo

Pai Criador,

bebidas que romantizavam

mais ainda

a Alta Poesia

que assim era declamada

pelos dias

e pelas noites:

APENAS

AMAR!

Época

bonita...

Época

gloriosa...

Época

fabulosa...

Bem diferente

desta época

de agora...

Quem gostaria

de reviver,

entre os românticos

que estão sendo

tocados por estes

versos,

aquela época

quando havia mais

Amor

nesta Humanidade?


Inominável Ser

QUE VIVEU

NAQUELA

ÉPOCA







2 Românticos Aqui Se Revelaram: