Meus Treze Primeiros Romances

Meus Treze Primeiros Romances - Poema Um - Mares De Angústia

00:00:00 Inominável Ser 2 Comments


Naveguei por mares aflitos

e nunca antes navegados,

que afundaram a minha alma

no mais obscuro

e tenebroso

estado.


Maremotos no meu coração,

ondas de solidão na minha alma,

afogamentos de desprazer,

naufrágios de paixão,

submersão na solidão

do corpo.


Se eu chorasse mais

formaria um novo mar,

um novo oceano,

mas não de águas,

mas de dor

e sofrimento.


Os peixes de todos os mares

riem dos meus graciosos males,

menos a água

que me banha

e me afaga.


As mulheres por mim amadas

me afogam de desprezo

e a vida por mim vivida

me encharca de desespero

e mais

desespero.


Oh, meu Pai do Céu,

Criador do Universo,

Poderoso Senhor,

porque a vida me transformou

num navio

enferrujado?


Criei nos meus pensamentos

imagens de acalento,

imagens de alento,

numa onda brilhante de

mínima alegria

e máxima infelicidade.


De toda a amorosa trilha

na qual caminho lentamente,

os lagos do subterrâneo

de minha mente não apagam

a lembrança do seu

maresio rosto.


Minha vida não importa

e a onda mais me afoga

na minha rasa forma,

na minha vida

inutilmente naufragada

vida.


O destino dos apaixonados

é amar até o último

suspiro de vida,

até o último riso

que sempre foi

sem vida.


O meu destino não é esse,

nem é morrer

nos seus braços,

mas me felicito tristemente

em afundar-me nestes

mares de angústia.



Terça-feira, 07 de fevereiro de 1995








2 Românticos Aqui Se Revelaram:

Oooi.. gostei bastante do seu blog, vou voltar mais vezes!
Mas eu gostei muito da sua poesia, eu gosto muito de romantismo, e hoje em dia isso quase não existe né? É de um sentimento e uma delicadeza inexplicáveis!
pelo que eu li na sua postagem anterior, deu pra entender bem.. Todos em algum momento da vida passam por essa fase do amor, o bom é que hoje tudo está resolvido!
Até mais então, fico aguardando as próximas poesias!

Inomináveis Saudações, Ind Caroline xj.

Sim, quase não mais existe Romantismo, parece que alguns seres humanos estão se esquecendo de romantizar até mesmo as pequenas coisas cotidianas. Sei que não soms perfeitos, mas podemos, sim, graças ao nosso Sustentador Maior, aprimorar o nosso Existir romantizando desde o cantar dos pássaros ao sorriso de uma criança.

O momento de hoje, do meu romance, sim, é maravilhoso e muitíssimo real...

Aguardo mais visitas vossas, Caroline! Serás sempre bem-vinda aqui!

Saudações Inomináveis, Ind Caroline xj!