Campo,

Um Campo Onde Encontramos Uma Verdadeira Paz

12:00:00 Inominável Ser 0 Comments




"Eu qu'ria ser camponesa;

Ir esperar-te à tardinha

Quando é doce a Natureza

No silêncio da devesa,

E só voltar à noitinha..."


Florbela Espanca



Somos entes estranhos para

as pessoas normais, pessoas

que se dizem melhores porque

seguras estão de seus internos

equilibrados dotes.


Amor continua sendo amor

mesmo em um cemitério. Que mal há

em nos encontrarmos, musa minha,

no local onde reside verdadeiramente

a paz neste mundo?


Que continuem nos chamando de

loucos, de muito loucos, mas sentimos

tranquilidade a mais verdadeira entre

os mortos. Em meio aos vivos, apenas

os calafrios nos sondam.


Existe mais verdade em um cemitério

do que em uma casa de shows. Nestas impera

a Deusa Violência, a Deusa Luxúria e a Deusa

Loucura. Em um cemitério está A Verdade

Do Grande Romance Da Vida.


Em cada lápide, em cada túmulo, a cada

pedaço de terra, sentenças que tomantizam

acerca de cada osso. Cada osso um dia amou,

foi amado e jaz agora junto ao pacífico solo

mais sagrado da Terra.


Como não ver uma divina realidade em um

cemitério? Como não sentir Deus em um cemitério?

Como não perceber que, em um cemitério, a paz

é encontrável? Com respeito, de mãos dadas, silenciosos,

apaixonadamente caminhamos em um,


sem pressa, admirando as esculturas, lendo

os nomes nas lápides dos túmulos. Riem de nós

do lado de fora, nos estranham aqueles que

trabalham dentro de um cemitério, mas nem ligamos

e sempre estamos entre os mortos.


Cada passo nos deixa em paz. Cada passo nos dá

a sua paz. Cada passo, sem rumores de cansaço,

sem gritos de perturbação, no tumular silêncio

de um cemitério romantiza... Assim é um amor entre

incomuns pessoas pacíficas.


Se tu estranhas estes versos, fiques então com a tua

comum vida. Eu e ela somos de uma época melhor, uma

época mais amante da própria Vida. Não somos parte

de uma subcultura humana e nem fazemos tipo escolhendo

caminhar na cemiterial paz. Apenas queremos


perceber mais do Romance Da Vida em um local

onde Ele nunca termina. Espíritos nos acompanham,

falam de nosso amor, sentem o nosso amor, estão

felizes com o nosso amor. Anjos Dos Cemitérios

abrem-nos todas as passagens em direção


à Verdadeira Paz Silenciosa que em todos os cemitérios

há. Não há mais pacífico campo do que um cemitério. Não há

mais pacifica paragem do que um cemitério. Um dia, sem

preconceitos, amantes do mundo inteiro, queiram passear

em um cemitério.


O Verdadeiro Amor é como a paz encontrável dentro de um

cemitério. Uma paz sagrada. Uma paz divina. Uma paz eterna.

Uma paz infinita. Uma paz amiga de todo e qualquer casal

que queira encontrá-la, mesmo que entre A Emcruzilhada Dos

Portais Entre A Vida E A Morte.


A Verdadeira Morbidez consiste em teimar na continuidade

de seguir o senso comum, acreditando nas superstições

e crendices de antepassados ignorantes. O Amor, O

Verdadeiro Amor, é possível em todo lugar, tanto

entre os encarnados quanto entre os desencarnados.


Eu e ela, em nossas vestimentas carnais atuais, nos

aconchegamos em nossa cava e vivemos o nosso romance

na maior paz encontrável entre amantes que sabem

enterrar os ossos da mesmice para o encarar da morte

para as crenças insensatas cheias de nadas.


E ficamos em paz... A paz... Esta paz...


Paz que nunca adoece...


Paz que nunca morre...


Paz que permanece fora de tudo que é breve...


Inominável Ser

COM SUA

MUSA AMADA

ADMIRANDO

ROMÂNTICOS

CEMITÉRIOS

0 Românticos Aqui Se Revelaram: