Desejo,

A Raiz De Todo Desejo

19:57:00 Inominável Ser 0 Comments


Planejo viajar
Pelo desejo
Serenamente real
De te elevar
Ao Trono Universal.
Planejo tomar partido
Do desejo
De recomendá-la
Como Estrela Maior
À Grande Mãe Universal.
Planejo controlar
O Desejo dos Astros
De outros Universos
Apenas para te fazer
Por Eles deslizar.
Planejo escrever
No Desejo das Eras
Seus outros nomes
Como O Nome
Mais Eterno.
Planejo subtemer
O Desejo Temporal
Ao prazer de parar
Todas as horas
Apenas para te admirar.
Planejo clamar
Ao Desejo Divino
Que te dê
Em Eden Al Sophor
Um Trono Divinal.
Planejo sufocar
Meus baixos desejos
E exaltar os meus
Mais altos desejos
Pela tua alma.
Planejo...
E Realizo!
Realizo
Como teu
Eterno Poeta!
Realizo
Como teu
Eterno Poema!
Realizo
Como tua
Eterna Poesia!
Inominável Ser
REALIZADOR
DE TODOS
OS ONÍRICOS
DESEJOS

0 Românticos Aqui Se Revelaram:

Sedução,

Você É Letal

20:13:00 Inominável Ser 0 Comments

Uma mulher
Em pleno fulgor,
Uma jóia
De infindo valor.

Um sonho
De excelso vigor,
Um esplendor
De semigual torpor.

Uma sinuosa
Letal mulher,
A mais apaixonante,
A mais alucinante!

Letal perigosa mulher,
Aquela sem mesmices,
Aquela sem crendices,
Aquela sem mimimi!

Letal como
Afrodite,
Deusa Do Amor
Carcereira de corações!

Letal como
Mata Hari,
Espiã sedutora
De sorriso hipnotizante!

Letal como
Marla Singer,
Um tipo de mulher
Sem cópias!

Letal como
Beth Gibbons,
Senhora de uma
Voz mágica!

Letal,
Perigosa
E
Adorável...

Inominável Ser
APRECIADOR
DE MULHERES
LETAIS

0 Românticos Aqui Se Revelaram:

Angústia,

Não Há Flores Neste Jardim

12:05:00 Inominável Ser 0 Comments




Morreram
Todas as flores
Em meu jardim
Sempre brilhante.

Brilhante
Agora está
Uma dor lancinante
De cor cintilante.

Cintila
N'alma minha
A incerteza diária
Na certeza clara.

Claramente
Me vejo tentando
Colher flores
Em outros jardins.

Jardins
De belas musas
Estão fechados
Para mim.

Eu
Sou um frangalho
Rastejando morto
Em meu jardim.

Jardim
Onde a última flor
Foi colhida
Ontem mesmo.

Mesmo
Dada com todo meu amor
A flor murchou logo
E tudo acabou.

Acabou
Toda festa
Que movia
Meu interno florear.

Florear
Ocupado por musas
Que me inspiravam
A romantizar.

Romantizando
E ainda tendo
A coragem de chorar
Eu tenho.

Tenho
Também
Que
Continuar.

Continuar
A
Ser
Poeta.

Poeta
Mesmo
No 
Deserto.

Deserto:
Minha
Angustiada
Alma.

Inominável Ser
UM ROMÂNTICO
EM CRISE

0 Românticos Aqui Se Revelaram:

Angústia,

Uma Paisagem Que Me Lembra Do Sufoco Onde Me Encontro

17:48:00 Inominável Ser 0 Comments


A paisagem muda
como a relação
dos dias que antecedem
a nudez das Formas
e os dias que seguem
a rude marcha das Notas...

A paisagem,
assim como para
todo poético ente
deste mundo,
desta Terra,
é uma constante mudança
de fogo e tempestade
na face toda inundada
por muitas ondas...

A paisagem,
esta interna e intensa
vestimenta que consagra-se
a todo aquele que 
realmente imita o sabor
de errantes amantes
de mais do que a carne,
ensina a sonhar como
nenhum sonhador
jamais sonhará...

Na paisagem minha,
moça de antiga era,
eu me situo
como o autor
de uma obra que
peca pelo excesso
de realismo
enfocando a esperança
em romances incompletos...

Na paisagem estabelecida
pela minha mente,
pelo meu coração
e pela minha alma,
ajuntada minha carne,
sufocadamente,
moça de antiga era,
eu realizo o sonho que
sempre torço para
objetivar-se...

Na paisagem
que cresce no meio
de todo o meu
reino próprio
de solidões e carências,
moça de antiga era,
vou modelando
imagens que digam-me
se meus sonhos
são romances completos
e realizáveis...

Na paisagem,
moça de antiga era,
eu realmente sonho
com uma completa
e realizável
solidão eterna,
você não está
me lendo,
você não está
me vendo,
você não está
em meus braços,
você sequer está
existindo neste
meu externo espaço
que cada vez mais
sufoca-me...

Na paisagem,
eu sou um
sufocado sonho...

Na paisagem,
eu sou
um sufocado sonhador...

Na paisagem,
eu sou 
um sufocado que não para
de sonhar...

Inominável Ser
NO SUFOCO
EM SUA
PAISAGEM



0 Românticos Aqui Se Revelaram:

Deusa Loucura,

Nesta Loucura Denunciante Toda De Nossa Crônica Insanidade

00:42:00 Inominável Ser 0 Comments



Veja o que fazemos
neste insano momento
de nosso louco
encontro...

Arrancamos asas
de Anjos
e com elas
estamos voando!

Veja mais
o que estamos
agora fazendo...

Roubamos de Afrodite
seu Leito Eterno
De Amor
e nele deitamos!

Veja,
ainda,
quanto mais estamos
fazendo...

Pulamos os muros
dos Jardins Celestiais
e comemos todos
os Frutos Proibidos!

Veja,
pelo Senhor Supremo
Dos Romances,
o que ainda fazemos
além...

Escapamos sempre
de flechas
quando cavalgamos
os Garanhões Celestes
do Jardim do Éden!

Veja,
pela Senhora Suprema
Dos Romances,
o que cometemos
a mais...

Adentramos desarmados
em perigosos presídios
e soltamos os
românticos aprisionados
pelos Tiranos Amorosos!

Veja,
veja,
tu,
louca romantizada
pela minha pena:

NOSSA LOUCURA
ATÉ MESMO
FEZ COM QUE
O EIXO DO TECIDO
UNIVERSAL
SE QUEBRASSE
DURANTE TODAS
AS NOSSAS LOUCAS
EMPREITADAS!

Mas,
é a loucura,
A Deusa Loucura,
que nos rege
em nosso 
Louco Romance
Imortal!

Inominável Ser
UM LOUCO
ROMÂNTICO
IMORTAL

0 Românticos Aqui Se Revelaram:

Amores,

Retornando Ao Ponto De Partida

13:46:00 Inominável Ser 0 Comments




Idolatrando símbolos
de amores
passados...

Colhendo sinos
de amores
presentes...

Ampliando sons
de amores
futuros...

É,
romanticamente
continuo neste
afundamento absurdo,
com carne,
mente
e alma
gritando sufocadas
por outra carne,
mente
e alma.
Continuo achando
que vou encontrar
a carne
da minha carne,
a mente
da minha mente,
a alma
da minha alma;
e continuo afirmando
minha carne
sem carne,
minha mente
sem mente,
minha alma
sem alma...
Não tenho mais
uma carne,
perdi a consistência.
Não tenho mais
uma mente,
perdi a inconsciência.
Não tenho mais
uma alma,
perdi a essencialidade.
Eu,
romântico zumbi
da atualidade,
faço-me acompanhar
de mortos romances
pairando nas
terrestres lembranças
do Akasa.
Mortos para esta
Antiromântica Era,
claro;
para mim,
poético zumbi
sem nome
que é um
teimoso romântico,
Tristão e Isolda,
Romeu e Julieta,
Abelardo e Francesca,
todos os casais
reais e imaginários,
são Imortais Romances
Raros.

É,
sou um Tristão,
um Romeu,
um Abelardo
e até mesmo
um Dante
chorando por uma
Beatriz
que há muito
já se foi...
Mas,
prefiro nunca parar
de romantizar,
O Romance,
O Grande Romance,
é o meu
Grande Lar.
Endurecer o coração
é um ato
vulgar.

Idolatrando rimas
de amores
passados...

Interpretando sinas
de amores
presentes...

Visualizando tintas
de amores
futuros...

A corrida
de um ainda
romântico.

Inominável Ser
SUANDO
CANSADO
E AINDA
CORRENDO
À FRENTE
DESTE
ANTIROMÂNTICO
TEMPO

 

0 Românticos Aqui Se Revelaram: