Feminilidade,

As Nascentes Flores De Seus Lábios

01:02:00 Inominável Ser 0 Comments



O tempo agora é para poetizar
Sobre as coisas do coração,
Poetizar sem frescura,
Poetizar sem firulas,
Falar às claras do que ainda
Me motiva
A querer ser romântico,
Uma insistência heróica
Nestes bárbaros tempos
Nos quais a insensibilidade
Grassa vertiginosa
Nas gentes da Terra.

A Terra de hoje,
A Terra de ontem,
Sempre confusa para
Todo aquele que acredita
No poder dos lábios
Que evocam as lutas
De todos os amantes
Pela Luz Maior.

Luz Maior buscada
Sem nenhum fanatismo,
Luz Maior encontrada
Sem nenhum êxtase
Ridículo,
Apenas o direto sentido
De flores nos lábios
Dos amantes que,
Sem o desespero
Dos que se matam,
Sem o vazio
Dos que se drogam,
Matam-se
E drogam-se
Através de seus
Respectivos lábios.

Nos seus lábios,
Lábios que me salvam
Da urbana doideira diária,
Lábias que me resgatam
Da estranha robotização de tudo,
Lábios que me batizam
Em mundos mais pacíficos,
Encontro
Meu Graal,
Meu Éden,
Minha Shangri La,
Meu Eldorado,
Meu Nirvana,
Minha Grande Fusão
Com O Todo
Da Sua Eterna Alma!

Seus lábios
Me dão a alegria,
Mesmo momentânea,
Alegria de viver
Para te beijar
E beijar
E beijar
E beijar!

Seus lábios
Me dão a vontade,
Permanente,
De viver sempre
A te beijar
E beijar
E beijar
E beijar!

Seus lábios,
Minha Alma!

Seus lábios,
Minha Calma!

Seus lábios,
Minha Chama!

Seus lábios,
Minha Paz!

E um pedaço
Da Primavera
Que ao tocar
Nos meus leoninos
Poéticos lábios
Me puxa para nados
Em oceanos de flores
Nunca antes colhidas
Pelos meus!

E a chatice deste mundo
Some,
Então,
Por alguns instantes
De mágica alquimia
Primaveril...

Inominável Ser
JARDINEIRO
COLHENDO
AS FLORES
DOS LÁBIOS
DELA

0 Românticos Aqui Se Revelaram: