Imperfeita,

Imperfeita II

18:00:00 Inominável Ser 0 Comments



Já sei que você
é assim,
durona
e segura,
uma maravilhosa
figura 
de fibra vibrátil
e indestrutível
que jamais se curva
ou balança
ou dobra.
Prefiro assim
do que a fragilidade
da mulherzinha dócil,
sou do tipo amante
de mulheres ferozes,
aquelas que,
como você,
mastigam
o coração,
trituram
o cérebro
e chicoteiam
o corpo
de um homem.
Até porque
neste nosso romance
não há melodramas
e nem a babaquice
da discussão
de relacionamento,
damos porradas
um no outro
nos abraços,
beijos
e sussurros
dentro
e fora da cama.
Para quê saber,
então,
de uma perfeitinha
que nem saiba
fazer as coisas
mais inenarráveis
que você faz?
Para quê,
outro então,
eu iria precisar
de um compromisso
qualquer
com uma bobalhona
cheia de recalques
e frescuras?
Gosto de você assim,
com seu cigarro,
sua cerveja,
seu cheiro acre,
seu suor fervente,
seu jeito bravo,
tal qual eximiamente 
uma dama de Bukowski
que aceitou ter
um tresloucado enlace
nada romântico
com este aqui
ora poetizando
aos tropeços,
quedas
e sem fôlego
e carro
e dinheiro.
A magia da imperfeição
me encanta
e sua obra mágica
em meu coração
é perfeita!
Apenas O Um
É Perfeito,
minha nervosinha senhora!
E como não somos
Ele
e nem mesmo Deuses,
aceitemos nossa
imperfeita essência!
Imperfeitamente
Romantizemos,
o terceiro então
neste poema
sem nenhuma razão,
como bailarinos
de pés quebrados,
a nossa louca parceria,
minha perfeita
imperfeita!
E balancemos
as nossas cadeiras
ao som
e ao sim
de boleros,
tangos,
morangos
e cerejas!

Inominável Ser
NESSE
IMPERFEITO
MAIS DO QUE
PERFEITO
REQUEBRADO



0 Românticos Aqui Se Revelaram: