Bebida,

Imperfeita IX

20:41:00 Inominável Ser 0 Comments



O tempo recalculado
em um ilimitado
inimitável espaço,
você com seu escárnio
e infinita crueldade
me submetendo
a uma prisão
da qual não quero
me libertar...
As horas com você
se configuram torturas,
sua audácia emudece
cada protesto meu...
Os dias com você
se arriscam massacres,
sua sedutora roupagem
me ata mais ao balançar
de teus irônicos lábios
junto aos meus...
Os meses com você
se arrastam impiedosos,
sua estatura de perigosa
e vilã de toda história
me fascina da manhã
às madrugadas...
Os anos com você,
anos desta existência,
anos de outra existência,
anos de algumas outras
distantes existências,
são o ônus pago
por nós dois diante
do Grande Tempo
sobre nós...
E o espaço é diminuto,
um espaço onde dividimos
dissolutos suores,
um espaço onde concluímos
protuberantes esportes,
um espaço onde reunimos
decididos encantamentos,
um espaço onde tudo
se define resgatador
de nosso sentido
como imperfeitos 
inseparáveis amantes...
A gota última de vinho
bebemos juntos,
os charutos nunca
estão no fim,
nossos rins
e pulmões
suportam homéricas
bebedeiras
e baforadas
assim...
Tortos,
minha retorcida garota
matreira,
malandra
e chaminé ambulante,
seguimos à frente
das carruagens transportantes
das más e
das boas
infinitas paixões.
Não quero saber
se a nossa paixão
é das más.
Não quero também
saber
se a nossa paixão
é das boas.
Somente me importa
transmutar toda a ilusão
do Tempo/Espaço
em permanentes partículas
que perdurem dentro
de nossos momentos
de bebedeira
e de fumo...
Nada muito
filosófico,
nada muito
comum,
nada muito
são,
nada muito
racional...
Bonitinhos romances
são mastigados
pelo Tempo
e espremidos
pelo Espaço.
Vagabundos romances
entre imperfeitos
beberrões fumantes
se posicionam acima
do Continuum
creando novos
Tempos
e novos
Espaços.
Imperfeitamente
além
do Bem.
Imperfeitamente
além
do Mal.

Inominável Ser
NOS NOVOS TEMPOS
NOS NOVOS ESPAÇOS
COM ELA




0 Românticos Aqui Se Revelaram: