Imperfeita,

Imperfeita XXIII

18:00:00 Inominável Ser 0 Comments


Alysha Nett



O dilúvio lá de fora
acarreta o dilúvio 
aqui de dentro,
fazendo-me ser uma
enxurrada de momentos
que escorre para baixo
das ladeiras dos meus
bons solitários
escuros momentos...
E nesta hora penso
no seu dilúvio
sobre mim,
um dilúvio de caráter
próximo a uma tempestade
que arrasa os prados
de minhas visões
e os bosques
de minhas ilusões...
Dilúvio que em uma
exata imperfeição
vai arrastando também 
as moradias de minha
interna seguridade,
me situando em um
barranco de emoções
prestes a caírem
por cima de minha
razão sempre à frente
de minhas paisagens...
Dilúvio de umas correntes
que formam lagos
de muitos recipientes
nos profundos abismos
do fundo de meus mares....
Dilúvios de toda onda
batendo nas praias dos meus
intensos litorais...
Dilúvios alagando meus
mundos interiores...
Dilúvios seus...
Dilúvios sempre seus...
Dilúvios muito seus...
Dilúvios de todo sim...
Dilúvios de todo não...
Dilúvios...
Dilúvios...
Dilúvios...
Dilúvios...
Dilúvios...
Dilúvios...
Dilúvios...
Dilúvios...
Dilúvios...
Confusos...
Difusos...
Refluxos...
Impressos...
Expressos...
Cada gota molhando
meu corpo ao calor de
vossos beijos...
Cada cachoeira caindo
por cima de mim
com seus abraços...
Cada manancial aberto
por toda minha alma
com seu corpo suado...
Suor no meu suor...
Suor sobre mim...
Suor como um dilúvio...
Suor & dilúvio...
Suor...
Suor...
Suor...
Suor...
Suor...
Suor...
Suor...
Suor...
Suor...
Assim vou ficando
bastante afogado...

Inominável Ser
IMPERFEITAMENTE
AFOGADO NESTE
DILÚVIO




0 Românticos Aqui Se Revelaram: